As três principais tendências para o e-commerce eletrônico em 2017

Neste artigo, você vai entender quais sãos as principais tendências para o e-commerce eletrônico neste ano.

Desde a época em que surgiu, o comércio eletrônico vem crescendo e se expandindo continuamente.

Isso se deve principalmente ao fato de que, a cada dia que passa, os consumidores se tornam mais ‘modernos’ e ‘digitais’. Para eles é muito mais cômodo fazer suas compras pela internet, em qualquer lugar, a partir de seu desktop, tablet ou smartphone.

Se deslocar até uma loja física é algo que, para muitos consumidores, é uma tarefa trabalhosa, cansativa e ultrapassada. Num futuro próximo, ninguém irá querer fazer isso – nem precisará.

Abaixo, listamos as principais tendências para o e-commerce em 2017.

principais tendencias para o e-commerce

 

1. Mais consumidores passarão a comprar pela internet

Em 2016, a PwC divulgou o relatório Total Retail 2016, que mostrou os hábitos de compra dos brasileiros. Segundo ele, o número de brasileiros que compram pela internet mensalmente (38,2%) superou o dos que frequentam lojas físicas (30,9%). Apenas 3,4% dos entrevistados nunca compraram produtos em e-commerces.

Outro estudo realizado, em 2016, mostrou que o número de ‘consumidores virtuais’ aumentou 31% no primeiro semestre. Houve também um crescimento nas vendas via tablets e smartphones.

Em 2017, uma das principais tendências para o e-commerce é que mais consumidores comprem pela internet. A expectativa da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) é de que 38,5 milhões de consumidores comprem produtos em lojas virtuais. Quanto ao número de pedidos, devem ser feitos 200 milhões em 2017, contra 179 milhões do ano passado.

2.O volume de vendas aumentará

Em 2016, o comércio eletrônico cresceu 11% em relação a 2015 e obteve um faturamento de R$ 53,49 bilhões, segundo a ABComm. Uma das principais tendências para o e-commerce é de que ele cresça 12% em relação a 2016 e fature R$ 59,9 bilhões. Já para a FecomercioSP, ele poderá crescer até 15%.

O que vemos é que, mesmo diante da crise econômica que assola o país, o volume de vendas realizadas pela internet continuará crescendo. Isso se deve, principalmente, ao fato de que os e-commerces estão se tornando cada vez mais atrativos para os consumidores do que as lojas físicas.

Um estudo realizado pela Forrester Research, encomendado pelo Google, mostrou que o número de vendas pela internet no Brasil irá dobrar até 2021. Segundo a pesquisa, o comércio eletrônico crescerá, em média, 12,4% ao ano, e atingirá R$ 85 bilhões em vendas.

Se essa tendência se concretizar, a participação desse comércio no varejo passará de 5,4% para 9,5%.

3. A quantidade de e-commerces no mercado crescerá

Como o comércio eletrônico está em constante expansão, ele está atraindo a atenção de muitos empreendedores – tanto dos que querem abrir um novo negócio como dos que já têm uma loja física. Hoje, segundo a ABComm, existem 71 mil lojas virtuais no mercado. A previsão é de que esse número cresça bastante até o final de 2017.

E isso não só aumentará o faturamento do comércio, como também gerará muitos empregos. No final de 2016, ele gerou 718 mil empregos. Em 2017, esse número aumentará significativamente, o que ajudará a diminuir as taxas de desemprego do país.

Essas são as principais tendências para o comércio eletrônico em 2017. Todas elas apontam para a expansão da atuação dos e-commerces no país e para a perda de participação das lojas físicas no mercado.

Agora nos conte: o que achou dessas das três principais tendências para o comércio eletrônico em 2017? Acha que elas irão se concretizar? Deixe suas opiniões no campo de comentários abaixo!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*